Digital clock

sábado, 23 de junho de 2012

MANIPULAÇÃO MIDIÁTICA: REALIDADE INCONTESTÁVEL

SHOW CULTURAL DA ALIENAÇÃO

Por José Facury Heluy (*)


Não se trata mais de um mistério, de tão estudada e propalada, não há mais nem como contesta-la, ou mesmo confronta-la, pois definitiva ela já se encontra inserida no nosso veio cultural como acionadora da ação e reação do comportamento pós moderno em todos os níveis do relacionamento humano. Estou falando da mídia, mais precisamente da televisada e das que compõem a rede internacional de informação. Nesse nosso contexto não se trata mais de veículos de comunicação simplesmente, se trata de uma força injetora de massificação cultural pretensamente unificadora, indelével e absolutamente sintônica (nada lhe escapa, independente de qualquer tipo de contexto). No meu ver, fica até difícil imaginar como serão as gerações futuras que a cada dia se tornam absolutamente dominadas e aculturadas nesse novo conceito assimilado e desenvolvido pela humanidade.

A “sociedade do espetáculo” começa a adentrar em nossos poros, tomando conta do nosso ser. Ela chega destituída de qualquer tipo de moral, ela é apartidária, apolítica e anticlerical, mas também pode ser oportunamente tudo isso desde que mantenha o seu poder de comunicar para influenciar. Esse poder pode transformar o anônimo em mito em um piscar de olhos e de novo retorná-lo ao anonimato, desde que saia do foco do produto vendável nessa sociedade do produto espetacularizado.

Inconseqüentemente, as artes teatrais, o cinema e os processos educacionais deixam-se manipular por esse tipo de conceito ou se portam indiferentes ao que ocorre, sem pelo menos, encara-lo como objeto de estudo. Seguem apenas reproduzindo-o e repassando aos seus públicos e aos seus alunos a plenipotência do paradigma alienante -, comportamento comum dos irresponsáveis negociadores do produto mercadológico. As universidades chegam ao ponto de criar cursos de especialização para atender a demanda consumista e mercadológica, seja lá do que for.

No mesmo paradigma, as igrejas que poderiam ser o lugar da reflexão da tradição e da busca da identidade mística do homem com o universo etéreo se proliferam como camundongos a roer as consciências e o poder da amplitude do pensamento dos seus fiéis, transformando-o em massa de manobra para a ânsia de potência dos seus pastores e bispos.

Temos que ter claro de uma vez por todas que a tecnologia da mídia é comprometida com o lucro. O seu objetivo sempre foi e será de promover a vitrine globalizante. A promoção continua da sociedade midiática, é imediata, ou seja, quer atrair a média social com os seus atrativos imediatos para que o consumam como produto. 
  
Como mediadora desse avassalamento cultural, as instituições públicas educacionais e culturais deveriam motivar e desenvolver ações que façam com que nossos jovens reflitam sobre esse mundo das aparências que a mídia injeta em suas cabeças. É o papel que ainda lhe resta, pois isso os arautos da mídia, visando o lucro, não o farão.

A arte, que sempre teve seus parâmetros baseados na aura, na autenticidade e no seu valor cultural, hoje quase que obriga ao artista a se revestir da auréola da telinha em sua cabeça; a sua autenticidade terá que dar a lugar às regras do mercado, se possível destituída de originalidade e no somatório final, como produto, o seu valor cultural é nenhum.

No Brasil inteiro, os processos educacionais não fazem nada para que os nossos alunos possam refletir sobre esse comportamento alienante que lhes é imposto no dia a dia. Nessa ausência pedagógica, eles acabam se portando como uma manada que consegue transformar em ídolo um simples participante eliminado de um bigbrother da vida, só porque a tevê assim o quis, enquanto isso a autenticidade expressiva do povo brasileiro vai pro brejo. Para nos precavermos das discrepâncias e dos saldos negativos gerados pelos avanços da mídia tecnológica, precisamos estar atentos para manusearmos a fibra ótica sobre a luz da fibra ética.


(*) Teatrólogo
Esta entrada foi publicada em COLUNISTAS, José Facury. Adicione o link permanente aos seus favoritos. 
Fonte: Beth Michel Blog

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Brasil é campeão mundial de uso de agrotóxico

Professor diz que agrotóxicos causa mortes

 Shutterstock

O Brasil é campeão mundial de uso de agrotóxico, embora não seja o campeão mundial de produção agrícola. O País ainda é o principal destino de agrotóxicos barrados no exterior. Para entender por que isso acontece, entrevistamos o pesquisador do assunto, Wanderley Pignati, doutor em Saúde Pública e professor da Universidade Federal de Mato Grosso. Confira abaixo:
>>'EUA tentam driblar testes de transgênicos'
>>'Proibição a transgênico tem razão política'

Por que o Brasil lidera o ranking de uso de agrotóxicos? Temos mais pragas que os demais países? É uma somatória de razões. A mais óbvia é que somos um dos maiores produtores agrícolas do mundo, de soja principalmente. Uma outra é que nossas sementes "melhoradas" já são pensadas para usar agrotóxicos. São selecionadas até um certo ponto em que, realmente, dependem destes produtos. E, para dar a produtividade que se espera, demandam grandes quantidades. Em terceiro lugar, não temos mais pragas, mas, por usarmos agrotóxicos há tantos anos, nossas pragas ficaram mais resistentes. É um espiral que vai aumentando.

Como outros países evitam o uso de agrotóxicos? Eles limitam o uso de agrotóxicos mais tóxicos. Aqui usamos agrotóxicos que foram proibidos em 1985 na União Européia (UE), Estados Unidos e Canadá. No Brasil, estamos tentando revisar o uso de 14 tipos há dois anos e não conseguimos, porque dependemos do parecer do Ministério da Agricultura, do Ministério do Meio Ambiente e o parecer do próprio sindicato dos produtores.
Na UE existe uma fiscalização mais rigorosa. Aqui aplicamos dezenas de agrotóxicos por avião, coisa que é proibida lá. Jogamos agrotóxicos por avião perto de casas, animais, gado, nascentes de rios e córregos. Outro fator importante é a conscientização da população europeia, que cobra este tipo de cuidado do governo e dos produtores.

Agrotóxico faz mal mesmo se for usado corretamente? Não existe uso seguro. Isso é uma fala dos produtores de agrotóxico. Por exemplo, se o trabalhador que aplica estiver como um astronauta – isolado com todos os equipamentos de proteção (EPI), inclusive para respirar – ele é menos prejudicado, mas não existe uma proteção 100% dos trabalhadores. E qual a proteção ao ambiente? Isso vai sempre deixar resíduos em alimentos, contaminar rios, ar, lençóis freáticos. Que segurança é essa?
Editora Globo E se formos mais a fundo nessa discussão, veremos que é uma contaminação intencional. Em termos jurídicos, fala-se em crime culposo quando a pessoa não teve a intenção de cometê-lo e doloso quando teve. Aqui não é um crime culposo. Não é culpa do vento que mudou o agrotóxico de direção, mas do agricultor que cometeu um ato inseguro e intencional. Existe a intenção de poluir para atingir o alvo dele – no caso, os insetos, as pragas. Ele aceita conscientemente essa consequência.

 
De acordo com a Organização Mundial de Saúde, as intoxicações por agrotóxicos são três milhões anuais. Destes, 2,1 milhões de casos acontecem nos países em desenvolvimento. Mais de 20 mil pessoas morrem no mundo, 14 mil estão nas nações do terceiro mundo. Existe alguma razão para que essas mortes concentrem-se nestes países? Utiliza-se mais agrotóxico, em primeiro lugar, porque se produz mais alimentos em países em desenvolvimento. Muitas dessas lavouras usam agrotóxicos proibidos na União Europeia, EUA e Canadá. Ora, se são mais tóxicos e proibidos lá, naturalmente acontecerão mais mortes aqui na América Latina e na África. E quer saber mais? Muitos desses agrotóxicos são produzidos no primeiro mundo e vendidos para o terceiro.

Como um agrotóxico provoca a morte de uma pessoa? Que outros males eles podem causar à saúde? Depende do agrotóxico. Aqui no Mato Grosso, por exemplo, já vimos caso de trabalhador que estava no trator com o ar condicionado ligado, jogando agrotóxico. Como o filtro de ar estava vencido, e ele não usava máscara dentro do trator, morreu de intoxicação aguda. Alguns agrotóxicos também causam câncer, problemas neurológicos, má formação fetal e desregulação endócrina. São extremamente prejudiciais à saúde humana. Estão na água, no ar, na chuva.
Os defensivos agrícolas demoram de três a quatro anos para degradar e o produto é tão prejudicial quanto a substância inicial. Um grande problema são doenças crônicas que acontecem durante anos de uso continuado de níveis baixos de agrotóxicos. Existe hoje a determinação de um limite máximo de resíduo por alimento. Esse limite não deveria existir, é absurdo. Cada pessoa tem uma sensibilidade diferente ao produtos. Sabe como esse limite é determinado? A partir da média da sensibilidade das pessoas, são medidas arbitrárias. No Brasil, por exemplo, um quilo de soja pode ter 10 miligramas de glicosato [princípio ativo de um agrotóxico famoso]. Nos EUA o limite é de 5 mg, na Argentina 5 mg, mas na Europa é 0,2 mg.

Qual a punição dada ao agricultor que permite que seus funcionários ou clientes sejam intoxicados no Brasil? Primeiro ele vai responder ao Ministério do Trabalho, porque será notificado como um acidente de trabalho. Depois, podem entrar com uma ação de crime doloso [intencional] contra ele. Porque se contratou, tem que dar toda a proteção ao trabalhador. A punição depende muito da força do Sindicato.

Na sua opinião, os alimentos transgênicos são uma solução para o uso de agrotóxicos? Pelo contrário. Alguns transgênicos são feitos para ser mais resistentes aos agrotóxicos, por isso se usa ainda mais, como a soja resistente ao glicosato.

Quais são as lavouras que mais usam agrotóxicos no Brasil? Por hectare é o algodão. Logicamente não comemos algodão, mas sua semente é usada para fazer ração de gatos e outros animais. Outras lavouras que usam muito agrotóxico são as de tomate, morango, hortaliças em geral, soja e milho.

Como se proteger? Basta lavar bem as verduras e legumes? Não. O consumidor deve também consultar os dados do PARA [Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos] da Anvisa. Nos dados de 2009, ele descobrirá os alimentos que têm problemas e poderá evitá-los. Mas é preciso ainda pressionar a Secretaria de Saúde e do Meio Ambiente para que façam uma vigilância mais dura

quinta-feira, 21 de junho de 2012

C E R V E J A - Você conhece todas? Confira


27 tipos de cerveja com sabores inusitados ao redor do mundo

Cerveja de Abóbora

Cerveja de Viagra / Cerveja de Bacon

Cerveja de Pizza / Cerveja de Melancia

Cerveja de Algas Marinhas

Cerveja de Café / Cerveja de Peixe

Cerveja de Côco / Cerveja de Ostra

Cerveja de Maconha


Cerveja de Laranja / Cerveja de Maçã Verde

Cerveja de Wasabi

Cerveja de Suco de Tomate / Cerveja de Limonada

Cerveja de Leite / Cerveja de Chocolate

Cerveja sabor Vagina / Cerveja de Galo


Cerveja de Creme de Malte

Cerveja de Pão de Banana

Cerveja de Cabeça de Cação

Cerveja de Pimenta

Cerveja de Chá

Cerveja de Pêssego

Cerveja pra cães

DICA PRA PROTEGER A FAMILIA E A CASA

Aumentar a segurança da sua família custa pouco mais de R$ 500,00… Vale a pena!

As câmeras de segurança não vão garantir que a sua casa nunca seja assaltada, no entanto, grande parte dos bandidos vão preferir invadir uma casa sem câmera de segurança se puderem escolher.
Melhor, quem tem uma câmera de segurança em casa pode ter um tempo, mesmo que pequeno, em que podera perceber que a casa está sendo invadida por ladrões e então tentar uma ação para se proteger, proteger familiares ou mesmo avisar à polícia sobre a ação dos bandidos.
Se não estiver em casa poderá acessar o sistema de segurança via celular ou computador ou mesmo passar o dia monitorando a residência a partir do seu local de trabalho, se algo acontecer, avisar a polícia de imediato para conter a ação dos bandidos.

Os sistemas de segurança para residências tem evoluido e barateado, o que é uma boa notícia para todo pai e mãe preocupado em monitorar o seu lar e saber o que está acontecendo, mesmo quando está fora de casa.

Instalar um sistema com 4, 8 ou 16 câmeras está bem acessível a todo aquele que se preocupa com sua segurança e isto vai sim aumentar e muito a segurança que você proporciana à sua família.
E a melhor opção que você pode ter é adquirir um kit já montado por uma empresa especializada em segurança, geralmente este kit vem com um aparelho que grava e também envia pela internet a imagem de todas as câmeras instaladas no seu sistema de segurança, conhecido como DVR Stand Alone, ele parece um aparelho de DVD, vem com as câmeras no total que você escolher, vem com os cabos para instalar a câmera até o DVR Stand Alone e com as fontes de energia para as câmeras, aí é só instalar, não é muito complicado mas precisa de alguém que passe os cabos pelos conduites na sua casa para ficar uma instalação mais adequada.



O aparelho DVR Stand Alone, que é o coração do sistema, controla as câmeras e é capaz de mostrar a imagem de todas as câmeras ao mesmo tempo ou cada câmera individualmente. Também é possível acessar as imagens em uma televisão, um monitor de computador ou até mesmo pela rede da sua casa via tablet, celular e computador, abrindo em uma navegador de internet.

Outro fato interessante do DVR Stand Alone é enviar imagens pelo e-mail através da detecção de movimento, assim, mesmo que ao ladrão cause algum dano ao seu sistema de segurança, a imagem dele já terá sido enviada e gravada em um ou vários e-mails na internet.

Pesquisando na internet você encontra kits com o DVR Stand Alone, 4 câmeras, cabos e fontes a partir de R$ 500,00, é um valor baixo para a capacidade que ele vai lhe dar de saber o que está acontecendo na sua casa e com as pessoas que você ama.

Segurança nunca é demais, R$ 500,00 para aumentar a segurança das pessoas que você quer bem, é um baixo investimento e você deve pensar nisto.
Fonte: GPS.Pezquiza

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Belo Monte é uma ferida aberta na Amazônia


Rio de Janeiro, Brasil, 19/06/2012 (TerraViva) – A indígena Sheyla Juruna chorou ao falar sobre a construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Xingu, norte do Brasil. Em meio a seus "parentes" – como se refere aos demais representantes dos povos indígenas reunidos na Cúpula dos Povos, evento paralelo à Rio+20. -, ansiosa por participar das discussões, as lágrimas de Sheyla revelam sua impotência diante das inúmeras tentativas feitas até agora de barrar a obra.

"A minha alma chora, choro por tudo o que está acontecendo lá, porque a vida do nosso povo está ameaçada. Acho que estas discussões são importantes, mas enquanto o Governo Federal não se sensibilizar, parar a obra, e buscar outras formas de energia, não vamos vencer", reconheceu Sheyla Juruna.

A construção da Usina de Belo Monte foi um tema recorrente na Cúpula dos Povos durante as discussões sobre o tipo de desenvolvimento proposto pelo governo brasileiro. Sheyla contou como os índios da região estão se matando, envolvidos com violência, com alcoolismo, e como a cultura vai se perdendo. Os integrantes do Movimento Xingu Vivo, que apoiam os indígenas, explicam que a usina não vai afetar somente a população do entorno, mas todos os que vivem do Rio Xingu, trazendo doenças e morte para peixes e gente.

Sheyla não acredita mais que haja espaço para diálogo com o Governo. "O Ministério Público leva para a Justiça, os juízes não fazem nada, a gente está sendo abandonada. A obra está em andamento a todo vapor e as questões sociais não estão sendo vistas. Estão calando a boca dos povos indígenas com as migalhas. Até onde vamos com isso? "Agora, disse, é partir para a briga, e com as próprias mãos, se for necessário". No dia 15 de junho, os parentes de Sheyla fizeram um manifesto simbólico: usando mãos, enxadas, furadeiras, cavaram as pedras e abriram ensecadeiras – barragens provisórias que desviam o curso do rio para permitir o trabalho em área seca durante a construção da barragem definitiva – sob o escaldante sol da região amazônica. O rio voltou a correr no seu fluxo.

"A vida é assim: a sociedade é democrática e as pessoas têm todo o direito de protestar. Não reprimimos a manifestação", disse Gilberto Carvalho, secretário geral da Presidência da República, em entrevista à agência Carta Maior depois do debate sobre "Democracia e Direitos", na Cúpula dos Povos. Carvalho negou que a construção da usina vai alagar aldeias indígenas e prejudicar as populações locais. "Pelo contrário, há duas áreas que estão sendo agora demarcadas por causa de Belo Monte", argumentou. "Somos privilegiados por termos recursos hídricos, o mundo nos inveja. Não vamos transformar a riqueza hídrica num problema. Para o padrão de desenvolvimento que precisamos ter para o Brasil, vamos continuar construindo hidrelétricas; os erros cometidos na construção destas usinas não podem anular a necessidade e a propriedade de seguirmos construindo", afirmou.
Caderno Sociedade 2 Belo Monte é uma ferida aberta na Amazônia

Sheyla Juruna: Já esgotamos nossa capacidade de diálogo com o governo.

A placa de propaganda, no caminho para o Riocentro, local onde está sendo realizada a Conferência Rio+20, assegura: Belo Monte tem segurança e saúde garantidos. Mas a questão não é tão clara e segura quanto anunciam. Em 1º de abril de 2011, a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) outorgou medidas cautelares a favor dos membros das comunidades indígenas da bacia do Rio Xingu, no Pará. A justificativa foi proteger a integridade pessoal e a vida destes beneficiários diante do impacto da construção da Usina. Na ocasião, a CIDH solicitou ao governo brasileiro que suspendesse imediatamente o processo de licenciamento e impedisse a realização de qualquer obra até que fossem observadas condições mínimas de respeito aos direitos daquelas pessoas. Em 29 de julho de 2011, diante da resposta do Governo Federal, a CIDH modificou o objeto da medida, amenizando os termos do pedido anterior, mas reforçou novamente a preocupação com a garantia dos direitos dos povos indígenas.

Uma fonte da CIDH confirmou a Terraviva a desconfiança de que o posicionamento do Brasil a favor de mudanças na CIDH, ao se somar ao grupo de países da Aliança Bolivariana das Américas (ALBA) durante a 42ª Assembleia Geral da Organização dos Estados Americanos (OEA) no início do mês, na Bolívia, estaria ligada às restrições feitas pela relatoria da CIDH sobre Belo Monte. Os países integrantes da ALBA, representados pelo presidente do Equador, Rafael Correa, ameaçaram naquela ocasião deixar a OEA caso não sejam tomadas medidas para sua renovação. Correa argumentou que o sistema interamericano atua desvinculado dos governos "democraticamente eleitos pelos povos da região".

A assessoria de imprensa do Itamaraty, em Brasília, negou qualquer relação direta. O assessor disse a TerraViva que a medida cautelar de Belo Monte foi um exemplo usado pelo governo sobre a necessidade de reformas no sistema interamericano, e, nesse sentido, "teve um peso". Mas reiterou que os estudos do Brasil sobre a necessidade de alterar a forma de atuação da CIDH já vinham sendo realizados antes disso.

Para Sheyla e seus parentes, a Cúpula dos Povos foi o espaço que restou para obter apoio e denunciar que a construção da usina de Belo Monte, que não é sinônimo de desenvolvimento sustentável, e que as populações locais estão sendo violadas e destruídas.

por Clarinha Glock, da IPS
http://envolverde.com.br/sociedade/belo-monte-e-uma-ferida-aberta-na-amazonia/

terça-feira, 19 de junho de 2012

Vulcão pode provocar tsunami nos EUA e no norte do Brasil

Vulcão CUMBRE VIEJA-Mega Tsunami pode atingir o Norte e Nordeste do Brasil e a Costa Leste dos USA.
Vulcão pode provocar tsunami nos EUA e no norte do Brasil, dizem cientistas
MADRI (Reuters) - Uma onda de 50 metros de altura atingindo o litoral atlântico dos Estados Unidos e destruindo tudo no seu caminho --não se trata de um filme de Hollywood, mas de uma sombria previsão de cientistas britânicos e norte-americanos, que também incluem o BRASIL na lista de possíveis lugares atingidos.
Enquanto a comunidade internacional tentava ajudar as vítimas do devastador maremoto de dezembro no sul da Ásia, os especialistas alertam que a erupção de um vulcão nas ilhas Canárias (que pertencem à Espanha e ficam no litoral norte da África) pode provocar a maior tsumami já registrado na história humana.
Cálculo da evolução das ondas do Tsunami com o colapso do Vulcão Cumbre Vieja:
Cálculo da evolução do tsunami: A = 2 minutos, B = 5 minutos, C = 10 minutos, D = 15 minutos, E = 30 minutos, F = 1 hora, G = 3 horas, H = 6 horas atinge o Norte/Nordeste do BRASIL e I = 9 horas atingindo a Flórida.
Segundo um polêmico estudo desses cientistas, uma explosão no vulcão Cumbre Vieja, na ilha de La Palma, pode lançar uma montanhas de rochas do tamanho de uma ilha dentro do Atlântico, a uma velocidade de até 350 quilômetros por hora. Mas muitos cientistas dizem que o risco de uma megatsunami provocado por tal erupção está sendo exagerado. Nesse estudo, a energia liberada pela erupção seria equivalente ao consumo de eletricidade nos Estados Unidos durante seis meses. As ondas sísmicas se deslocariam pelo Atlântico na velocidade de um avião a jato (900 km/hora).
A devastação nos Estados Unidos provocaria prejuízos de trilhões de dólares e ameaçaria dezenas de milhões de pessoas. Países como a Espanha, Portugal, Grã-Bretanha, França, BRASIL, Região do Caribe, Guianas, Venezuela e todos os países da África Ocidental também poderiam ser atingidos pelas ondas gigantes. "Isso pode ocorrer na próxima erupção, que pode acontecer no próximo ano, ou pode levar dez mil anos para acontecer", disse Bill McGuire, do Centro de Pesquisas Benfield Hazard, da Grã-Bretanha.
O Cumbre Vieja, que teve sua última explosão em 1971, normalmente tem erupções em intervalos de 20 a 200 anos. "Simplesmente não sabemos quando vai acontecer, mas há alguém preparado para assumir o risco depois dos incidentes do Oceano Índico?", disse McGuire, propondo a criação de um programa para monitorar a atividade sísmica na encosta do vulcão.
Foto de satélite do Vulcão Cumbre Vieja nas Ilhas Canárias
"Precisamos fazer com que as pessoas saiam antes do colapso em si. Uma vez que o colapso tenha acontecido, o Caribe teria nove horas, e os EUA de 6 a 12 horas, para retirar dezenas de milhões de pessoas." Mas outros especialistas vêem exageros na previsão sobre o Cumbre Vieja ou sobre o vulcão havaiano de Kilauea. A Sociedade Tsunami, que reúne especialistas de vários países, diz que essas teorias só servem para assustar as pessoas.
O grupo argumenta que o Cumbre Vieja não explodiria em uma única rocha e que a onda criada seria muito menor (apesar de haver registros históricos de mega explosões como a do Vulcão submerso THERA em Santorini, no arquipélago das ilhas gregas conhecidas como As Cíclades, no Mar Egeu, que em torno de 1.680 a.C. explodiu violentamente, literalmente jogando pelos ares a maior parte da ilha Santorini e o topo da montanha.
Fotos de satélite de SANTORINI, no Mar Egeu e o gigantesco buraco/vazio deixado na ilha pela explosão do vulcão THERA em 1.680 a.C.
O impacto daquela erupção fez-se sentir em toda a Terra, mas com particular intensidade na bacia do Mar Mediterrâneo. A erupção do vulcão THERA em Santorini parece estar ligada ao colapso da Civilização Minóica na ilha de Creta, distante de Santorini 110 km ao sul. Acredita-se que tal cataclismo tenha inspirado as posteriores lendas acerca de Atlântida. Ver mais em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Santorini
"Estamos falando de milhares de anos no futuro. Qualquer coisa pode acontecer. Nesse meio tempo um asteróide também poderia cair na Terra", disse George Pararas-Carayannis, fundador da Sociedade Tsunami. Muitos especialistas acham que as tsunamis provocadas por deslizamentos abruptos duram menos do que aquelas geradas por terremotos fortes, como o de 26 de dezembro de 2004, na Indonésia que matou cerca de trezentas mil pessoas.
Mapa físico das Ilhas Canárias
O arquipélago da Ilhas Canárias. Na Ilha de EL HIERRO, AO SUL DA ILHA DE PALMA, onde está o CUMBRE VIEJA está acontecendo uma enorme atividade sísmica, com muitos terremotos (alguns são submarinos).
Charles Mader, editor de uma revista do Hazards sobre tsunamis, prevê que mesmo um enorme deslizamento em La Palma provocaria ondas de apenas um metro de altura nos EUA. De qualquer forma, especialistas avaliam que a ameaça das tsunamis estava subestimada antes da tragédia asiática, que matou mais de 150 mil pessoas. "Não seria surpresa para mim se amanhã víssemos outra tsunami como essa," disse Pararas-Carayannis, apontando para as falhas geológicas de Portugal, de Porto Rico e do Peru como riscos possíveis.
Para McGuire, um sistema de alerta no Índico teria evitado completamente as mortes em Sri Lanka e na Índia, já que na maioria dos casos a população precisava se deslocar apenas um quilômetro para ficar a salvo. Na opinião dele, o risco dos tsunamis para a Terra só é inferior ao do aquecimento global. "Com as costas fortemente ocupadas agora, particularmente nos países em desenvolvimento, as tsunamis são um grande problema porque, ao contrário dos terremotos, transmitem a morte e a destruição através de oceanos inteiros."

Ilhas Canárias: Risco de erupção vulcânica em El Hierro ao sul de LA PALMA


Foto à esquerda: El Hierro, nas Ilhas Canárias: Risco de erupção vulcânica. Esferas azuis e vermelhas marcam a ocorrência de Terremotos recentes.
As autoridades espanholas estão a mobilizar-se para uma eventual evacuação da ilha de El Hierro, no arquipélago espanhol das Canárias, devido ao risco de uma erupção vulcânica.
Nos últimos dias do ano de 2011, têm-se registrado uma série de movimentos sísmicos na ILHA DE EL HIRRO, e especialistas estão agora a avaliar se o magma está subindo.
Barcos transportando equipes da Unidade Militar de Emergências do governo espanhol local partiram, no final da manhã, para El Hierro, para uma eventual operação de evacuação. Cinquenta e três pessoas foram já realojadas e o principal túnel da ilha, entre as localidades de Frontera e Valverde, foi fechado.
Desde o dia 19 de Julho até às 11h16 de hoje, foram registados 8.356 eventos sísmicos (TERREMOTOS) na ilha de EL HIERRO, segundo dados do Instituto Geográfico Nacional (IGN) dA Espanha. Apenas 15 teriam sido sentidos de fato pela população, segundo a edição online do diário espanhol El Pais. Mas o número de sismos aumentou e alguns mais recentes parecem estar a ocorrer a uma profundidade menor do que a maioria, o que pode significar um aumento do nível do magma sob a ilha.
Especialistas dizem que esta ocorrendo erupções submarinas em EL HIERRO, que se localizam a cerca de 2.000 metros de profundidade no leito do oceano e a uma distância entre cinco e sete quilômetros da costa.
De qualquer forma, com o aumento na frequência dos eventos sísmicos o governo das Ilhas Canárias acionou o nível "amarelo" de alerta - o segundo menos grave numa escla de quatro cores, e que implica em maior informação à população e planificação de recursos. As autoridades estão se preparando para, caso necessário, retirar 4.000 pessoas da Ilha de El Hierro em quatro horas.
Segundo Maria del Carmen Romero, professora de Geografia da Universidade de Laguna, citada pelo jornal La Vanguardia, um dos principais riscos é o de desmoronamentos de terras, já que a ilha tem encostas muito acentuadas. No entanto, pode não chegar a haver uma erupção vulcânica, lembrando de uma crise sísmica semelhante, descrita em crónicas de 1793, sem erupção vulcânica.
Por Daniel Flynn - WWW.REUTERS.COM
.......................................................................................
Tradução e imagens de várias fontes: Thoth3126@gmail.com
Um mega tsunami é um raro tsunami com ondas de mais de 100 metros de altura. Deixando de lado alguns grandes tsunamis no Alasca, incluindo aí um de 520 metros de altura, na baia de Lituya - Alasca, acredita-se que o último mega tsunami que atingiu uma área com população ocorreu há 4.000 anos. Geólogos dizem que tal evento é causado por gigantescos deslocamentos de terra, originados por uma ilha em colapso, por exemplo, em um vasto corpo d'água como um oceano ou um mar.

Mega tsunamis podem atingir alturas de centenas de metros, viajar a 900 km/h ao longo do oceano, potencialmente alcançando 20 km ou mais terra adentro em regiões de plataformas continentais/costas de baixa altitude. Em oceanos profundos, um mega tsunami é quase invisível. Move-se em um deslocamento vertical de aproximadamente um metro, com um comprimento de ondas de centenas de quilômetros. Porém, a enorme quantidade de energia dentro deste movimento de gigantesca massa líquida produz uma onda muito mais alta, à medida que a onda se aproxima de águas rasas situadas nas costas litorâneas das plataformas continentais.

Ilha de La Palma e a Cratera do Vulcão Cumbre Vieja

Terremotos geralmente não produzem tsunamis desta escala, a não ser que eles possam causar um grande deslocamento de terra debaixo d' água, tipicalmente tais tsunamis têm uma altura de dez metros ou menos (seria o caso do Tsunami do Japão em Março de 2011). Deslocamentos de terras que são grandes comparadas à profundidade atingem a água tão rapidamente que a água que foi deslocada não pode se estabelecer antes que as rochas atinjam o fundo. Isto significa que as rochas deslocam a água em velocidade total em todo seu caminho ao fundo. Se o nível da água é profundo, o volume de água deslocado é muito grande e as partes baixas estão sob alta pressão. Isto resulta numa onda que contém grande quantidade de energia.
Algumas pessoas assumem que mega tsunamis pré-históricos varreram antigas civilizações, como um castigo do(s) deus(es), comum em muitas culturas ao redor do mundo. Porém, isto é improvável, considerando que mega tsunamis usualmente acontecem sem qualquer aviso, atigindo apenas áreas costeiras e não necessariamente ocorrendo após uma chuva qualquer.
A hipótese de mega tsunamis foi criada por geólogos buscando por petróleo no Alasca. Eles observaram evidência de ondas altas demais em uma baía próxima. Cinco anos depois, uma série de deslocamentos de terra foi revelada como a causa destas altas ondas no Alasca. O histórico geológico mostra que megatsunamis são muito raros, mas que devastam qualquer coisa próxima à costa atingida. Alguns podem devastar costas de continentes inteiros. O último evento conhecido desta magnitude aconteceu há 4 mil anos na Ilha de Reunião, leste de Madagascar.

Uma onda que atingiu 524 metros de altura - Baia de Lituya - Alaska - 1958
Um fato sempre intrigou biólogos e geólogos na baia de Lituya, no Alaska. Ao redor de toda a baia, nas margens, existe uma faixa de vegetação começando da linha dagua composta por arvores jovens e somente muitas dezenas e até centenas de metros acima é que aparecem as árvores velhas. Os cientistas sempre souberam que as arvores jovens nasceram em decorrência da morte das arvores velhas que ali estavam, mas não sabiam o que havia causado isso. Um evento geológico colossal elucidou o enigma.


No dia 9 de julho de 1958, um grande terremoto de 8.5 graus na escala richter sacudiu a região da baia de Lituya. Uma grande massa de rocha com volume estimado de 30 milhões de metros cúbicos se desprendeu de uma altura de 900 metros de uma montanha, mergulhando na profunda baia de Lituya. O gigantesco e súbito deslocamento de água produziu uma descomunal onda. Segundos depois, parte da onda atingiu a margem oposta ao deslizamento 1350 metros adiante e quebrou, subindo uma outra montanha e derrubando arvores a inacreditáveis 524 metros de altura. O restante da onda seguiu adiante e arrasou com a baia de Lituya derrubando arvores a até 200 metros de altura.

Os acontecimentos de 1958 no ALASCA mostraram que Tsunamis também podem ser criados por deslocamento de grandes massas de rochas de ilhas vulcânicas e deslocamento de grandes massas de água sobre a plataforma continental, o que se um dia ocorrer, será numa escala muito maior e poderá devastar faixas litorâneas inteiras de muitos países.

Ameaças de Mega tsunamis

Ilhas vulcânicas como as de Reunião e as Ilhas do Havaí podem causar megatsunamis porque elas não são mais do que grandes e instáveis blocos de material mal agrupado por sucessivas erupções. Evidência de grandes deslocamentos de terra foram encontradas na forma de grande quantidade de restos subaquáticos, material terrestre que caiu oceano adentro. Em anos recentes, cinco de tais restos foram encontrados somente nas ilhas havaianas.

Alguns geólogos acreditam que o maior candidato para a causa do próximo megatsunami é a erupção do VULCÃO CUMBRE VIEJA na ilha de La Palma, nas Ilhas Canárias, na costa oeste da África. Em 1949, uma erupção causou a queda do cume de Cumbre Vieja e fez cair vários metros adentro do Oceano Atlântico. Acredita-se que a causa disto foi causada pela pressão do magma em aquecimento e água vaporizando-se presa dentro da estrutura da ilha, causando um deslocamento da estrutura da ilha.
Durante uma próxima erupção, que estima-se acontecerá em algum tempo nos próximos anos ou milênios, irá causar um novo deslocamento da ilha, fazendo a metade ocidental, pesando talvez 500 milhões de toneladas, deslocar-se catastroficamente em direção ao fundo do oceano e com isso gerando uma imensa onda em direção ao oeste, ao norte/nordeste do Brasil e à costa leste dos EUA.
''Isto irá automaticamente gerar um megatsunami com ondas locais com alturas de centenas de metros''.
Depois que o tsunami cruzar o Atlântico, provavelmente irá gerar uma onda com 10 a 25 metros de altura ao chegar no Caribe e na costa leste da América do Norte várias horas depois (entre oito a dez horas), gerando grandes problemas econômicos e sociais para as populações litorâneas sobreviventes dos países envolvidos e para a economia global como um todo. Enquanto que potencialmente não tão destruidor como um super-vulcão, um mega tsunami seria um desastre sem precedentes em quaisquer regiões em que este evento ocorra.
Investigação intensiva na seqüência da catástrofe do tsunami na Indonésia de 26 de dezembro de 2004 mostrou que muitas outras zonas costeiras também estão em perigo de sofrerem impacto de tsunamis. Assim, as costas leste e oeste do Atlântico e na costa do Mediterrâneo, não estão a salvo de maremotos e, portanto, devem ser mais bem protegidas.

Tsunamis no Atlântico


Mapa de ocorrências históricas de Tsunamis no Atlântico:


Locais de ocorrências de Tsunamis na área do Oceano Atlântico. Em vermelho houve séria destruição, em amarelo destruição moderada e em branco pequena destruição.

Poucas catástrofes como tsunamis ocorrem no Atlântico, em comparação com o Pacífico. Os maremotos em Lisboa (em 1º de NOVEMBRO DE 1755, posterior ao grande terremoto acontecido no mesmo dia com epicentro no nordeste do Oceano Atlântico e que destruiu Lisboa) e em Porto Rico foram até agora a maior catástrofe de tsunamis, quando milhares de pessoas perderam suas vidas.Ver mais em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Sismo_de_Lisboa_de_1755
Localização potencial do epicentro do terremoto de 1755 em LISBOA e o tempo de propagação e chegada do posterior tsunami, em horas após o sismo

segunda-feira, 18 de junho de 2012

NASA: asteroide pode atingir a Terra em 2040

Cientistas não descartam possível impacto em 2040 

Descoberto em 2011 pelo Centro Catalina de Pesquisa do Céu, o asteroide 2011 AG5 logo tomou conta do noticiário após ser apontado como potencial candidato a um impacto com a Terra em 2040. Agora, novos cálculos mostram que as chances de impacto diminuíram, mas os pesquisadores são cautelosos em descartar totalmente essa possibilidade.



Reunidos em um workshop promovido pela Nasa no mês de maio, diversos pesquisadores e astrônomos apresentaram suas últimas conclusões sobre asteroides potencialmente perigosos e como não poderia deixar de ser um dos objetos mais discutidos foi 2011 AG5.
Quando foi descoberto em 2011, as chances de impacto do corpo celeste com o a Terra era de 1 em 625, mas eram necessárias mais observações para que a rota do objeto fosse estabelecida com precisão.
Agora, durante o workshop, cientistas se mostraram mais céticos quanto às probabilidades de impacto e chegaram a afirmar que havia mais de 99% de chances de que isso não aconteceria. No entanto, nenhum dos participantes chegou a descartar totalmente essa hipótese.
"Embora haja um consenso quase geral de uma chance muito pequena de impacto, ainda vamos estar atentos e prontos para tomar medidas adicionais se as novas observações indicarem que isso não está descartado", disse o cientista Lindley Johnson, chefe do programa NEO de observação de objetos próximos à Terra, da Nasa.

Observações dificultadas

Atualmente, as observações de 2011 AG5 estão severamente limitadas devido à localização da rocha, situada além da órbita de Marte, com o Sol exatamente na frente. Somente a partir da primavera de 2013 as condições de observação irão melhorar, permitindo que telescópios espaciais e terrestres possam rastrear melhor o caminho do asteroide. Nesta ocasião a rocha estará a 148 milhões de quilômetros de distância, mas em condições mais favoráveis a ser observado no céu noturno.

Buraco de Fechadura

Somente a partir de fevereiro 2023, no entanto, é que será possível determinar com precisão se poderá ou não ocorrer o impacto em 2040. O motivo é que em 2023 o asteroide passará a apenas 1.8 milhão de quilômetros da Terra, próximo de uma localização espacial conhecida como "buraco de fechadura", capaz de alterar a órbita de um objeto.
Se 2011 AG5 passa dentro da área de 365 km do buraco de fechadura, a perturbação gravitacional da Terra poderá ser suficiente para fazê-lo retornar em 2040 já em rota de colisão. Se não passar pelo buraco, o choque não acontecerá.

Impacto Fulminante

Apesar de não se conhecer com exatidão a densidade da rocha, cálculos padronizados mostram que se houver de fato a colisão, AG5 deverá iniciar a ruptura a cerca 95 km de altitude, transformando-se em uma chuva de fragmentos a uma altura de 7 mil metros. O asteroide tem 140 metros de diâmetro e o choque com a alta atmosfera deverá liberar uma energia equivalente a 90 megatoneladas de TNT, 50% maior que a detonação da Tsar Bomb, a maior bomba nuclear já construída.

Fonte: Apolo 11

domingo, 17 de junho de 2012

Mudança climática ameaça potencial hidrelétrico brasileiro

A mudança climática pode representar uma ameaça ao desempenho das fontes renováveis de energia. Uma pesquisa de 2010 conduzida pela equipe de Roberto Schaeffer, pesquisador da Universidade Federal do Rio de Janeiro, mostra que o país pode perder 30% de sua produção de eletricidade até 2035, se as emissões globais de carbono mantiverem as atuais tendências de alta.

Com base nos dados disponíveis atualmente, o estudo projetou um cenário de mudança climática para os próximos anos. A pesquisa calculou o efeito que essas mudanças teriam sobre a geração de energia que usa o vento, o sol, a biomassa e, principalmente, a força dos rios, principal fonte do Brasil.

Na projeção, o sertão nordestino tende a se transformar em um deserto, a Amazônia perde espaço para o cerrado e as chuvas adquirem um novo ciclo em várias regiões do país.

"Esse novo padrão de chuva possível para o Brasil levaria a uma situação de escassez hídrica nos momentos mais secos", explicou o pesquisador, que mostrou os resultados da pesquisa no Fórum de Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Sustentável, realizado na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio).

A queda se daria principalmente em relação à energia "firme", que é a capacidade mínima que uma usina tem, mesmo no pior período hidrológico.

A solução para o problema seria investir em outras formas de geração e interligar os sistemas, para garantir a distribuição de energia ao longo do ano. "Isso significaria, grosso modo, de agora até 2035, investimentos adicionais da ordem de US$ 50 bilhões só para preparar o sistema brasileiro para a mudança climática", apontou Schaeffer.

A diversificação pode ser feita com outras fontes renováveis. O estudo também mostrou que, apesar de prejudicar as hidrelétricas, a mudança climática até favoreceria a geração eólica no Nordeste.

A produção de energia por fontes biológicas também seria afetada. A cana de açúcar teria uma produção superior à atual caso o planeta fosse "2 ou 3 graus" mais quente, segundo Schaeffer. Já a soja, muito utilizada nas usinas termoelétricas a biomassa, teria um desempenho pior.

Para a energia solar, o pesquisador não espera grandes alterações. "A mudança climática pode vir a afetar um pouco o padrão de nuvens, mas, dado que o potencial solar é tão grande, não é, eventualmente, alguma região mais nublada que vai inviabilizar a energia solar", avaliou.

Fonte: Ambiente Brasil

Tela mostra informações usando apenas ar e água

Seco dentro d'água
Pesquisadores da empresa Nokia e da Universidade de Aalto, na Finlândia, descobriram uma forma inusitada de escrever e apresentar informações usando apenas ar e água.
Eles usaram uma superfície superhidrofóbica, ou seja, um material que repele fortemente a água, e a colocaram no fundo de uma vasilha com água.
Isso cria um "colchão" de ar entre a água e a superfície no fundo, que pode ser manipulada para mostrar as informações.

Micro e nano escalas
A superfície foi construída com nanoestruturas em duas escalas de tamanho: micropostes com 10 micrômetros de altura e, sobre toda a superfície desses micropostes, filamentos 1.000 vezes menores, ou seja, nanopostes.
Nessa superfície em dois níveis, a camada de ar pode assumir dois formatos diferentes, como se fossem duas formas diferentes de manter a água afastada.
Os pesquisadores descobriram que é fácil alternar entre os dois estados usando um bico para criar uma sub ou uma sobre-pressão sobre a água.
A alternância envolve apenas uma mudança no formato da camada de ar sobre a superfície superhidrofóbica - nada acontece com a superfície propriamente dita.
"A energia mínima necessária para chavear entre os estados significa que o sistema é biestável, o que é uma característica essencial dos componentes de memória, por exemplo," explica o Dr. Robin Ras, coordenador da pesquisa.

Tela mostra informações usando apenas ar e água
As saliências em micro e nano-escala criam efeitos ópticos diferentes, permitindo mostrar as informações. [Imagem: Verho et al./Pnas]

Contraste óptico
O mais interessante é que há um contraste óptico muito forte entre os dois estados devido à diferença de tamanho das estruturas microscópicas e das estruturas nanoscópicas na superfície das primeiras, permitindo ver a informação com muita clareza.
O processo é reversível em uma escala de "pixel" - correspondente à espessura do bico de gravação.
A "tela" inteira também pode ser apagada retirando-a da água: a placa sai completamente seca, sem qualquer sinal da escrita em sua superfície.
Ainda não há propostas para uso prático da tecnologia: mas ela pode se tornar muito interessante para outdoors e vitrines se for colocada para funcionar na vertical, em um invólucro selado, por exemplo.

Redação do Site Inovação Tecnológica

Misteriosas nuvens elétricas

NASA não consegue explicar misteriosas nuvens elétricas de cor azul...

Todos os anos, mais ou menos nas proximidades de junho, surgem nuvens azuis e elétricas ao longo dos polos Norte e Sul.
Elas são chamadas de nuvens noctilucentes e só podem ser observadas em profundidade no crepúsculo, quando o Sol está abaixo do horizonte.



Segundo a NASA, a sua origem ainda é um grande mistério. “Várias teorias tentam associá-las a poeiras cósmicas, escape de foguetes, aquecimento global ou uma mistura das três”, afirma a Agência Espacial Norte Americana em um comunicado oficial.
Essas nuvens são extremamente altas, localizadas quase no limite entre a atmosfera terrestre e o espaço. São bastante difíceis de visualizar, mas elas aparecem como se fossem imensos tentáculos azuis e brancos, quando iluminadas pela luz solar.
O site da NASA informa que elas são como grandes “lâmpadas geofísicas”, atingindo intensidade máxima em um período que varia de 5 a 10 dias. A foto foi capturada por Brian Whittaker.
Sáb, 16 de Junho de 2012


Extraído de: http://jornalciencia.com/universo/diversos/1781--nuvens-noctilucentes

sábado, 16 de junho de 2012

Novo Xbox 720 por US$ 300, e com Kinect 2 ?:

Aumentando ainda mais os rumores sobre a próxima geração de consoles, um suposto documento da Microsoft aponta para a produção de um “Xbox 720” com novos acessórios, como o “Kinect 2” e algo chamado “Óculos Kinect”. A principal novidade deste vazamento, no entanto, é a citação de que o próximo Xbox seria lançado com o preço sugerido de US$ 299 (cerca de R$ 600), previsto para chegar às lojas em 2013.

Informações do novo Xbox vazam em documento (Foto: Reprodução)Informações do novo Xbox vazam em documento (Foto: Reprodução)

O arquivo de mais de 50 páginas parece ter sido produzido em agosto de 2010, mas só agora veio a público, descoberto por usuários do fórum NeoGAF. Apesar de aparentemente obsoleto, o documento faz referências a produtos que a Microsoft anunciou este mês, como o aplicativo SmartGlass, um menu mais eficiente do atual Xbox 360 e o serviço de aplicativos Xbox TV.
Outras supostas novidades para o próximo console seriam suporte a Blu-Ray, mídia da Sony utilizada no PlayStation 3, além de 3D nativo e suporte a sensores adicionais, como outros periféricos. O poder de processamento seria seis vezes maior do que o atual Xbox e todos os seus jogos teriam o mínimo de resolução configurada em 1080p. O novo aparelho seria, também, compatível com os antigos jogos da linha Xbox 360.
Segundo o documento, a Microsoft teria o plano de divulgar o console como “a única caixa que você precisa na sala de estar”, fazendo referências às dezenas de possibilidades que o suposto videogame poderá oferecer – entre games, programas de TV e outros tipos de entretenimento já embutidos no pacote. Não por acaso, as imagens do Xbox 720 que aparecem no documento lembram muito um simples aparelho para TVs, como um DVD player, sem se quer parecer com algum videogame recente. O preço do aparelho já incluiria um Kinect 2 no pacote.

Kinect 2 pode ser uma das novidades do aparelho (Foto: Reprodução)Kinect 2 pode ser uma das novidades do aparelho (Foto: Reprodução)

O Kinect 2 pode ser o sucessor do atual Kinect e traria melhorias como uma melhor captura de voz, captura de som estéreo, suporte para até quatro jogadores simultâneos, melhorias na câmera e processamento dedicado. Já um outro acessório citado é algo chamado de “Kinect Glasses”, ou “Project Fortaleza”. Sem grandes descritivos, é citado apenas que este pode ser um acessório de realidade aumentada com conexões Wi-Fi e 4G, e que ele terá conectividade com o Kinect. O lançamento deste segundo aparelho estaria marcado para 2014.
Vale lembrar que o Kinect foi desenhado e planejado por um brasileiro, Alex Kipman, que trabalha na Microsoft. Por conta disso, o nome inicial do aparelho era “Project Natal”, fazendo referência à capital do Rio Grande do Norte. O nome “Project Fortaleza” seria uma possível referência à capital do Ceará.
Kinect Glasses ou Project Fortaleza (Foto: Reprodução)Kinect Glasses ou Project Fortaleza (Foto: Reprodução)

Por ora, todas as informações não passam de meros rumores. A Microsoft não demonstrou nenhum interesse em mostrar sua próxima geração de consoles na última edição da feira E3. Resta aguardar para ver o que o futuro próximo nos reserva. Vale lembrar que a companhia não vai participar das próximas feiras de game deste ano – Tokyo Game Show e Gamescom -, então é possível que só tenhamos alguma novidade oficial a partir de 2013.

Fonte: Dicas da Pukka
Via The Verge.

KINECT para ajudar a achar... TRALHAS???

Pesquisador usa Kinect para ajudar a achar suas tralhas


googlechaves

OK, a Internet é legal e tals, mas tem uma enorme limitação quando tratamos do Mundo Real. Ao contrário do que pensa aquele pessoal do Orkut, o Google Earth não é ao vivo, e não há nenhuma ligação verdadeira entre objetos físicos e o Google.

Até agora.

Shahriar Nirjon está tentando resolver isso, e com ajuda do Kinect, pode ter conseguido.
O sistema, desenvolvido por ele, utiliza a tecnologia de câmeras e sensores 3D da Microsoft para manter controle sobre a posição de objetos em um ambiente. Ou seja: Sempre saberá onde está seu controle remoto. Ou as chaves, ou seu poodle.

É preciso taggear os objetos, ensinando ao sistema o que é cada coisa. Estão criando inclusive uma app de celular para isso. Como o sistema é distribuído, acumula informações de diversos ambientes, assim pode rastrear na casa inteira quem pegou o maldito abridor de latas.

Claro, o trabalho ainda é muito preliminar, está restrito ao âmbito de prova de conceito, mas toca nesse ponto importante, de nossos computadores serem excelentes para lidar com informação abstrata mas praticamente inúteis em relação a algo tão mundano quanto gerenciar nossas quinquilharias.

Por enquanto a precisão é de 13cm, e provavelmente não funciona com objetos realmente pequenos, mas no futuro essas limitações serão vencidas, e os escritórios se livrarão da maior praga do mundo corporativo: Ladrões compulsivos de canetas.

Por: em 15/06/12 na(s) categoria(s): Internet
Fonte: MeioBit

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Índio quer Android, se não der pau vai comer

Mostrando mais competência do que muitos governos por aí, no mês passado a tribo amazônica Surui conquistou o direito de vender, pelas próximas três décadas, compensações de carbono no mercado global, tornando-se os primeiros brasileiros a ganharem certificados emitidos pela Verified Carbon Standard e Climate, Community and Biodiversity Gold Standard.
Para atingir tal façanha os nativos contaram durante quatro anos com a colaboração de uma equipe do Google Earth e com a utilização de celulares Android para monitorar os níveis de emissão de carbono em suas terras. Com os dados coletados, foi enviado uma proposta para a Rainforest Alliance, que aceitou o pedido.

Os compradores dessas compensações serão empresas que emitem gases (dióxido de carbono) na atmosfera, seja através de produção de eletricidade, fabricação ou transporte.
Não se trata apenas da redução absoluta de gases causadores do efeito estufa, há um benefício social neste projeto. Se você pode comprar compensações de carbono, a tribo quer que aprenda sobre sua cultura, antes de optar pela compra,” declarou Rebecca Moore, diretora do Google Earth Outreach.

É, foi-se o tempo em que os índios protegiam suas terras e costumes apenas com arcos, flechas e rituais pagãos



Por: em 11/06/12 na(s) categoria(s): Celular, Google, Planeta Sem Fio
Fonte: MeioBit

TABLETs negócio adulto vai crescer 3x até 2015

ipadpron

A sacanagem é a mola-mestra da humanidade. TODA a nossa tecnologia é criada ou para sacanagem diretamente ou para, através do poder político ou econômico acumulado, comer gente.

Da Internet ao VHS, todas as tecnologias se popularizam via sacanagem. A fotografia e o cinema não são exceção, nem seriam os tablets e iPhones. A idéia de ter acesso ao Infinito Conteúdo Questionável da Internet em um dispositivo portátil, pessoal e voltado para privacidade é atraente demais.

A Apple, claro, não gosta, mas se resume a controlar o conteúdo da AppStore. Caiu na web, vale tudo, e os produtores de material educativo perceberam isso, e investiram pesado em sites de vídeos voltados para dispositivos móveis.


Os resultados estão aparecendo. As projeções de crescimento são mais otimistas que promessas daqueles anúncios (que não funcionam, acredite) Enlarge Your Penis. Em 2015 o número de assinantes de sites de vídeos adultos triplicarão, com estimativa de 5x mais assinantes em 2017. Ainda em 2015 o assinante gastará em média 11% mais dinheiro do que atualmente.

Os produtores atribuem esse crescimento todo ao v1@gr@ natural fato do tablet ser mais confortável do que o celular, com uma tela bem mais adequada ao consumo de vídeo, ainda mantendo a vantagem de poder ser segurado com uma só mão.

Boa parte da receita projetada vem de aplicações de videochat, onde carecas de meia-idade pagam para filezinhos mal-saídos da adolescência fingirem interesse por eles.
Dado o merdelê franciscano que a indústria pornô vive atualmente, eu acho ótimo, mas me surpreende, enquanto usuário calejado (com trocadilho) que exista gente que pague por material educativo na Internet. Sério gente, 2012, GOOGLE.

A ironia é que esses serviços de videochat acabam prejudicando o pessoal que é unha e carne (de preferência carne) da indústria: Os atores. Ao investirem no lado “social” da sacanagem, tiram da equação os profissionais e criam um estranho mundo onde pessoas fazem e falam sacanagem com gente de verdade.
Que se dane o social, quero a Traci Lords de volta!

Por: em 12/06/12 na(s) categoria(s): Apple e Mac, Internet
Fonte: MeioBit

Suporte do XBox dá melhor resposta EVAR a usuário engraçaralho

Suporte online é uma atividade desgraçada. Você não pode explicar pra anta que ele é uma anta, tem que ouvir desaforo calado, tem que explicar que a estrelinha amarela indica que o Windows Piratex que a pessoa está usando não vai sair enquanto ela não pagar pelo software… tudo com um sorriso no rosto. Por isso, de vez em quando é preciso um rápido bateu-levou, e a vítima da vez foi um engraçaralho que enviou a mensagem abaixo via Twitter para o suporte do Xbox:

engracaralho
Cheio de graça, o espertão resolveu trollar o suporte, dizendo:
“@XboxSupport, eu f@*&@di o meu xbox 9 meses atrás e hoje um Windows Phone saiu pelo disk drive”
O suporte respondeu na lata:
“Desculpe, não recomendamos inserir pequenos objetos no XBox 360.”
Bateu, Levou.

Fonte: MeioBit
Por: em 12/06/12 na(s) categoria(s): Cultura Gamer, Games

Uma triste relação entre crimes e Facebook


dori_fac_13.06.12

As redes sociais podem ser irrelevantes para alguns, irritantes para outros ou até mesmo de grande ajuda para muitas pessoas, permitindo que elas encontrem amigos ou parentes com quem não tinham contato há um longo tempo, mas uma coisa é inegável, se não tomarmos cuidados, serviços como o Facebook podem ser a maneira ideal para nos tornarmos vítimas de criminosos.

De acordo com um artigo publicado pelo jornal britânico Daily Mail, há cada 40 minutos um crime relacionado a rede social de Mark Zuckerberg é registrado em todo o mundo e só no ano passado 12.300 ocorrências foram formalizadas. O pior é que as transgressões não se limitam apenas a fraudes ou intimidações, chegando também a assédio sexual,  assaltos, sequestros, ameaças de morte, estupros e assassinatos, inclusive envolvendo crianças, mesmo com os menores de 13 anos sendo “proibidos” de se registrarem por lá.

O problema é que mentir a idade na hora do cadastro não é algo difícil de ser feito e por isso Jean Taylor, do grupo Families Fighting for Justice, defende a opinião de que o Facebook deveria ser fechado, já que ele “causa mais danos do que bem,” permitindo que pedófilos publiquem fotos suas e encontrem jovens facilmente.

Já para um detetive entrevistado, “isso é apenas um reflexo da sociedade em que vivemos” e que não existe nada de perigoso no Facebook, mas assim como um carro ou uma faca, é preciso ter cuidados com os perigos associados a eles, opinião com a qual concordo.

Basta lembrarmos que antes das redes sociais, quem queria utilizar a internet para encontrar suas vítimas valia-se do anonimato proporcionado por salas de bate-papo para isso ou mesmo antes da grande rede se tornar popular, bastava fazer uma visita a algum bar ou lanchonete para realizar sua caçada. Ou seja, novamente estamos diante do velho problema de sempre, o ser humano.

Por: em 14/06/12 na(s) categoria(s): Internet
Fonte: MeioBit